Você não está sozinho – O verdadeiro contacto

Você não está sozinho - O verdadeiro contacto

Primeiro que tudo, eles (civilizações espaciais) não nos vão salvar. Sinceramente, qual seria o propósito? Nós não aprendemos a andar ou até mesmo a correr por nós mesmos não é verdade?

Se nós somos eles e eles são nós, não irá significar muito se alguns que estão em contacto têm recordações e outros não. Eu diria que, considerando que nós vimos das estrelas e um dia mais tarde iremos voltar para as estrelas…todos nós temos contacto. E, portanto, temos razões para acreditar que seja aquilo que nós sabemos, o nosso conhecimento interior irá informar-nos. Há que acreditar e confiar nisso.

Por exemplo, porque é que você acha que toma as decisões que toma? Exceptuando aquelas decisões que o deixa mais abalado…as decisões mais acertadas, as que têm uma boa recompensa… aquelas decisões vindas do seu eu superior…adivinhem? Isso é estar em contacto com eles. Afinal, se somos feitos do seu ADN, existe um reconhecimento de uma promessa subjacente que está a governar esta vida e todas as vidas.

Confie nisso. O seu eu superior vai informar a sua vida, e fá-lo quer você saiba ou não. Você quer se tornar mais consciente do contacto que está a ter? Aprenda a meditar e a fazer perguntas, depois espere que as respostas venham.

Eu lembro-me quando ainda estava na faculdade. Eu tive uma experiência com LSD onde eu fui para o céu e encontrei o que parecia ser “Deus” … Talvez fosse apenas o meu eu superior. Mas, em essência, fiz-lhe uma pergunta que eu não sabia que tinha feito, mas que tinha estado na minha mente já há algum tempo. O que devo fazer ou o que não devo fazer na vida? Havia algo “certo” ou algo “errado” para fazer?

E a resposta veio alta e clara…”está tudo bem”. Em outras palavras, o perdão pessoal ou o que você quiser chamar. Houve uma imensidão no contacto que estava a ter que era tão abrangente e maciço e ainda inegável e específico. Uma sabedoria além de qualquer coisa mundana. Que a “inteligência” e senso de amor era tão completo que eu nunca me esqueci. Tudo o que fazemos aqui. Isso não quer dizer que torna ok prejudicar os outros! Mas a essência de tudo o que é vai rectificar-se. Voltar ao equilíbrio independentemente da profundidade da injustiça na Terra ou de outros planetas, entre as raças e entre todos nós.

Pondo de lado aqueles que chegam com uma patologia transitária de uma vida passada … O instrumento humano como um veículo para o espírito tem uma certa grandeza. Há um senso inato de certo e errado em todos nós. Pelo menos quando chegamos. E o que me estava a ser dito não era para me retrair… mas viver plenamente e completamente … abraçar tudo e escolher. Definir os meus próprios parâmetros. E viver com as consequências, mas sabendo que nos é permitido falhar. Que o amor é tudo e abunda. Esta é a chave.

Nunca esqueci aquele momento. Era uma comunicação clara como água com algo ou alguém omnipresente e incognoscível, mas amoroso e sábio em formas ilimitadas. Foi assim que eu percebi isso.

Aquele sentimento de perdão e de aceitação nunca me deixou. Eu tentei incorporar isso na minha vida desde aquela época.

Eu tinha um professor de teatro muito sábio e excepcional, quando vim pela primeira vez para Nova York nos meus vinte e tantos anos. O seu nome era Robert X. Modica. Ele era muito talentoso e havia estudado com Sanford Meisner, o famoso professor do método Stanislavsky. Uma das principais coisas que ele nos ensinou veio de Meisner e originalmente de Stanislovsky (o professor Russo). Ele diria, agir como se fosse a verdade … a verdade era tudo neste método. Encontrar e reter a verdade era o objectivo final do ensino. Eu levei isso a sério.

Você age em fazer crer circunstâncias como se eles fossem reais e você é sincero na sua resposta.

Isto informou o meu método de entrevistar e na minha vida em geral. Independentemente de saber se alguém está a dizer a verdade ou não eu escuto. Atentamente e então agir como se fosse a verdade …. Questionando-los no seu mesmo nível .. é muito eficaz. Permite suspender juizos de valor e “estar presente no momento”, como Ram Dass diria, outro grande mestre. Estar presente no momento é a chave para desvendar as inconsistências e a possível programação que pode estar a substituir a verdade.

Porque a verdade ecoa, você não precisa de se preocupar em ficar fora do seu percuso ao ouvir concelhos de alguém. Eventualmente, a verdade vai surgir. Você pode estar em algum lugar distante a partir do momento em que ouviu o material, mas você vai sempre sentir a verdade.

O que quero dizer com “ecoa”? É uma vibração, alguns diriam frequência. O coração é como um tambor receptivo. Ele “ouve” de maneiras que ainda estamos a aprender a entender. É suficiente dizer, o coração ouve a verdade e bate em conformidade … enviando um eco que vibra pelo corpo todo. É muito poderoso.

Eu estou preocupada que as pessoas que estão fora de contacto ou pensam que estão possam pensar que aqueles que vêm a público e falam sobre as suas experiências e o seu conhecimento de várias raças tenham que ser seguidas. Isso seria um erro. Existe um grande esforço no nosso sector, para fazer a si mesmo por ser alguém “especial” quando simplesmente não é o caso.

Se você quiser ouvir outros que estão a usar os seus próprios filtros para retransmitir a natureza das suas experiências de contacto, seja cuidadoso. Eles podem estar enganados. E os seus egos podem estar a substituir a verdade real.

A verdade sobre o contacto é mais subtil do que muitos irão reconhecer. Eu sei que eu estou em contacto no entanto, é nos momentos de silêncio que a informação me chega. Não se trata de ver seres físicos ou ir para passeios nas suas “naves” se elas naves de luz ou tipo 3D físicas … Isto é imaterial, literalmente, e de nenhuma importância. O que importa é o que você “sabe”. O que você reconhece na sua alma mais interior como verdadeiro. Vá com isso.

Há tanta decepção lá fora hoje em dia. E provavelmente vai piorar à medida que o tempo passa … Com a consciência vem a responsabilidade. Ser responsável a não enganar é primordial. Não dar muito crédito aos que afirmam conhecimento consciente de contactos. Eles têm um papel a desempenhar, mas não é todo abrangente. Os seus próprios relacionamentos pessoais são o que importa para você.

Dê a si mesmo algum crédito. A sua alma mais elevada não vai deixá-lo alto e seco. A sua alma mais elevada está em constante contacto não só com outras raças para quem você está relacionado, mas com o criador supremo. Saiba isto e simplesmente permita que a sabedoria se infiltre no seu horizonte pessoal.

Fontes:

http://projectcamelotportal.com/kerrys-blog/2633-you-are-not-alone-true-contact

Anúncios