Monsanto é expulsa da Grécia e Letónia – Imposições contra OGM varrem a Europa

Monsanto é expulsa da Grécia e Letónia - Imposições contra OGM varrem a Europa

Primeiro a Escócia e Alemanha expulsaram OGM dos seus países, com receio de contaminação nos seus campos de agricultura, pondo em causa o seu stock de alimentos e com receio de colocarem as suas indústrias de alimentos e bebidas em perigo.

Agora, a Grécia e a Letónia estão a dizer à Monsanto exactamente o que podem fazer com os seus organismos geneticamente modificados. A maré está a virar. O ponto de viragem só se tornou evidente através das acções de dois países europeus adicionais que viram a sua paciência contra a empresa de biotecnologia esgotada.

Letónia e Grécia optaram por banir os OGM, assim como a Alemanha e Escócia, como parte dos novos subsídios indicados na legislação que recentemente passaram para países da UE.

Estas imposições geográficas têm como alvo especificamente o milho transgénico ‘MON810’ da Monsanto, que os países podem optar por crescer ou recusar nos próximos meses. Esta é actualmente a única cultura geneticamente modificada autorizado a ser cultivada na UE no presente – mas apenas quando os países dão permissão específica.

O site ‘Sustainable Pulse’ explica “, enquanto a Comissão Europeia é responsável pela aprovação, as solicitações a serem excluídas também têm de ser enviadas para a sociedade que as aplica, ou seja – MON810.”

Se os Estados membros adicionais negarem a Monsanto, podemos ter a certeza de que a empresa de biotecnologia vai tentar encontrar outras maneiras de forçar os seus cultivos transgénicos no mundo (por exemplo, a parceria Trans Trade Pacífico – TTIP), mas enquanto dissermos colectivamente NÃO, mantendo proibições, e exigindo a rotulagem, vamos livrar o planeta desta praga, dos alimentos geneticamente modificados.

Fontes:

http://naturalsociety.com/monsanto-kicked-out-of-greece-and-latvia-gm-bans-sweep-through-europe/#ixzz3kJaP9fOS

http://www.reuters.com/article/2015/08/24/grain-germany-gmo-idUSL5N10Z2IV20150824

Antiga cidade subterrânia de Kish e o seu avançado sistema hidráulico

Antiga cidade subterrânia de Kish e o seu avançado sistema hidráulico 1

Localizada a 16 metros abaixo da ilha de coral, a magnífica cidade de Kish é uma verdadeira prova de habilidades antigas de engenharia.

A cidade subterrânea em Kariz, no Irão, tem mais de 2.500 anos de idade e abrange uma área de 10,000 metros quadrados. Tem túneis com vários quilómetros de comprimento, ligeiramente horizontais, com uma inclinação. Isso permitia que a água fosse drenada da superfície através da gravidade e bajular terras agrícolas.

Os tectos têm oito metros de altura e são cobertos principalmente por fósseis, conchas e corais, estima-se que tenham entre 270 a 570 milhões anos de idade. Cada um foi identificado e todos eles têm identificações oficiais.

Antiga cidade subterrânia de Kish e o seu avançado sistema hidráulico 2

Embora o Kariz-e-Kish ou Kish Qanat não seja conhecido pela sua história, ou a sua arquitectura – este é um lugar de destaque que merece atenção.

Nos tempos antigos, os aquedutos de Kish forneciam água potável aos ilhéus.

A antiga tecnologia de fornecimento de água pode ser descrita como a maior contribuição feita por iranianos na tecnologia hidráulica.

Antiga cidade subterrânia de Kish e o seu avançado sistema hidráulico 3

Antes do aqueduto romano, as pessoas no Irão haviam desenvolvido o seu próprio sistema hidráulico chamado de qanat.

Antiga cidade subterrânia de Kish e o seu avançado sistema hidráulico 4

Hoje, Kish Qanat, foi transformado numa cidade subterrânea incrível. Junto com as muralhas históricas de coral em redor de qanat, os trabalhadores têm reforçado os túneis com argamassa e pedras para criar um mundo subterrâneo. A temperatura no interior dos túneis da cidade subterrânea é fixado entre 22 a 25 graus centígrados, garantindo assim um ambiente agradável.

Antiga cidade subterrânia de Kish e o seu avançado sistema hidráulico 5

A cidade subterrânea será funcional com o seu artesanato do Irão e do mundo, restaurantes tradicionais e modernos, anfiteatros, sala de conferências, e galerias de arte.

De acordo com os planos actuais, serão ancorado barcos ao longo dos canais da cidade subterrânea para levar turistas ao interior do Shahnameh Túnel, onde a água ainda flui. O objectivo é transformar este lugar incrível numa grande atracção turística.

Fontes:

http://www.messagetoeagle.com/undergroundcitykish.php#.VeIZwvlViko

Imagens da NASA mostram estruturas na superfície de Marte

Imagens da NASA mostram estruturas na superfície de Marte 1

O planeta vermelho irá certamente continuar a surpreender-nos com todos os detalhes que estão a ser enviados de volta da ‘Rovers’ da NASA. Se estas não são estruturas artificiais, então o que serão?

Ufologistas que examinaram esta imagem de Marte acreditam que é definitivamente uma estrutura feita pelo homem. Scott Waring do site ‘UFO Sightings Daily´afirma que:

“Esta é uma excelente prova de que a vida existiu e ainda pode existir em Marte. Porque é que os arqueólogos do mundo inteiro não investigam os arquivos da Nasa em Marte para estas descobertas originais? Parece que a maior parte dos arqueólogos têm a mente fechada.”

Imagens da NASA mostram estruturas na superfície de Marte 2

Aqui está o link para a imagem oficial da NASA, onde você pode verificar o objecto em questão.

Certamente faria sentido pensar que, se uma civilização tivesse existido em Marte num passado distante como o Dr. Brandenburg sugere, estaríamos a encontrar evidências físicas da sua existência. Dr Brandenburg tem um douturamento em Física Teórica de Plasma da Universidade da Califórnia e ele está actualmente a trabalhar na Orbital Technologies em Madison Wisconsin.

Sabemos que o planeta vermelho tinha água líquida na sua superfície há cerca de 500 mil anos atrás, o que significa que a sua atmosfera era muito semelhante à da Terra, o que certamente sugere a possibilidade de ter prosperado vida na superfície e profundezas do planeta vermelho.

Mas quais as probabilidades de Marte ter sido o planeta um planeta em que seres alienígenas chamavam de casa? E se houve seres inteligentes a habitar Marte num passado distante, seria estranho encontrar evidências da sua existência?

Imagens da NASA mostram estruturas na superfície de Marte 3

As supostas estruturas vistas na imagem são certamente um pouco estranhas. Mas serão estranhas por parecerem artificiais? Pode ser que o nosso cérebro nos esteja a pregar partidas e que isso possa ser apenas mais um caso de pareidolia. Mas também pode ser algo que “alguém” realmente construiu há centenas de milhares de anos atrás. É uma hipótese de 50-50, uma vez que não podemos dizer com certeza que algo ou alguém tenha habitado o planeta vermelho ou não no passado.

O que nós temos que reconhecer é que muitos dos próprios robôs da NASA descobriram coisas muito estranhas no planeta vermelho. Lembra-se da criatura caranguejo em Marte? Estátuas, rodas, pirâmides? É uma longa lista na verdade.

Serão estes os resultados de pareidolia, ou será possível que de alguma forma, a ‘Rovers’ da NASA tenha fotografado ruínas de “estruturas” na superfície de um dos planetas mais interessantes do nosso sistema solar; Marte.

Fontes:

http://www.ancient-code.com/nasa-images-show-structures-on-the-surface-of-mars/

A raça alienígena reptiliana

A raça alienígena reptiliana 1

Ao longo da história, ouvimos lendas sobre os Reptilianos, estas criaturas de aparência estranha que aparentemente vivem entre nós na Terra.Existem muitas histórias sobre entidades reptilianas, tanto no passado como no presente.A história fala sobre eles e os avistamentos na era moderna estão a tornar-se cada vez mais frequentes.Houve histórias de seres meio-humano, meio-réptil durante séculos, mas será que isso é apenas o resultado da imaginação humana ou existe mais algo sobre estes seres estranhos que conquistaram os nossos livros de História?

Olhando para trás na história, encontramos vários contos sobre criaturas estranhas, que eram veneradas pelos nossos antepassados.Na América do Sul, Quetzalcóatl, Kukulkan são alguns dos Deuses que podem provavelmente ser reptilianos adorados como Deuses. Quetzalcóatl é uma divindade Mesoamericana, cujo nome vem da língua Nahuatl e significa “serpente emplumada” a adoração de uma serpente emplumada conhecida, foi documentada pela primeira vez em Teotihuacan no primeiro século A.C. ou no primeiro século D.C..Uma divindade serpente emplumada era adorada por diferentes grupos étnico-políticos da história Mesoamericana.

A mais antiga representação iconográfica de divindade acredita-se ser encontrada em Stela 19 no Sítio arqueológico da civilização olmeca em La Venta, que descreve uma serpente subindo por trás de uma pessoa, provavelmente, envolvidos num ritual xamânico. Esta representação acredita-se ter sido realizada por volta de 900 A.C.. Para os Astecas, Quetzalcóatl era, como o seu nome indica, uma serpente emplumada, um réptil voador (muito parecido com um dragão), que era um fabricante de fronteira (e transgressor ) entre a terra e o céu. Ele era uma divindade criadora, tendo contribuído essencialmente para a criação da Humanidade.

Kukulkan é o nome de uma divindade de cobra Maia, nome que também serve para designar pessoas históricas.Apesar de fortemente Mexicanizado, Kukulkan tem as suas origens entre os Maias do período clássico, quando era conhecido como Waxaklahun Ubah Kan, a serpente da guerra e, foi identificado como a versão pós-clássica da visão da serpente da arte Maia Clássica.

Mas esses contos não existem apenas nas culturas Mesoamericanas, elas estão fortemente presentes na Ásia e nas Civilizações Asiáticas Antigas, que falam sobre imperadores dragão e deuses dragão. É possível que o homem antigo interagiu com esses seres estranhos que nós hoje chamamos de Reptilianos? Algumas pessoas interpretam os textos na Bíblia e sugerem que eles estão relacionados com criaturas reptilianas de outro mundo, os Serafins e podemos ler sobre eles no livro de Isaías.

Na Bíblia, o livro de Génesis conta a história de uma serpente que seduz Eva, oferecendo-lhe o fruto proibido da árvore do conhecimento.Para o agrado da serpente Eva cai e come a maçã e muda para sempre a história da humanidade, fazendo com que ela e Adão sejam expulsos do Jardim do Éden enquanto que a serpente foi condenada a rastejar no chão como castigo por desobedecer a vontade de Deus.

Na lenda antiga, segundo os textos, a serpente que ofereceu o fruto proibido à Eva era uma figura humanoide antes de Deus lhe ter punido. O que temos aqui é uma descrição de um ser Reptiliano na Bíblia. No Corão, também temos histórias estranhas sobre seres que são chamados de Djinn, que de acordo com os textos, estavam presentes na Terra antes dos seres humanos. A história conta que num determinado momento Iblis, o líder dos Djinn ofendeu a Deus, era rebelde e foi amaldiçoado assim como as serpentes no Jardim do Éden ficando preso à terra por toda a eternidade.

A raça alienígena reptiliana 2

Existe uma lenda Hopi sobre três cidades na Costa do Pacífico que eram completamente subterrâneas e, de acordo com esta lenda, há 5.000 anos uma chuva de meteoros fez com que seres estranhos, descritos como o povo lagarto procurasse refugio subterrâneo.Estas criaturas construíram uma elaborada rede de túneis localizados em Los Angeles, usando tecnologias avançadas que podem ate mesmo derreter rocha.

Em Benares, na Índia há uma lenda quase idêntica, que fala sobre o poço de Sheshna, que segundo a lenda Hindu é uma entrada para uma cidade subterrânea dos Nagas que, de acordo com os textos, são uma raça de pessoas serpentes semi-divina que vivem numa cidade subterrânea, chamada Patala. Segundo a mitologia, é um lugar de grande poder e só um Santo poderia entrar nela.

Temos diferentes culturas que compartilham praticamente as mesmas crenças, culturas que, segundo a história, nunca foram interligadas e no entanto partilham muitas histórias semelhantes.

A raça alienígena reptiliana 3

A cultura Ubaid é outro grande exemplo de contos que falam sobre seres estranhos que se assemelham a descrição daquilo que hoje conhecemos como Reptilianos. A cultura Ubaid espalhou-se para o norte através da Mesopotâmia, substituindo gradualmente a Cultura Halaf. O arqueólogo britânico Sir Leonard Woolley estava entre os primeiros a escavar o Iraque de hoje em busca de evidências de uma das mais antigas comunidades agrícolas do mundo.

Uma figura humanoide com características de lagarto foi descoberta e deixou os arqueólogos chocados. As figuras tinham aparência de seres estranhos, com um olhar de lagarto característico e estavam exibidas em poses de cerimónia que pareciam indicar que não eram deuses, mas talvez seres comuns que vivem entre os humanos.

Fontes:

http://in5d.com/reptilian-alien-race/

http://gracianoconstantino.com/2015/07/27/a-raca-alienigena-reptiliana/

De acordo com os índios Macuxi da Amazónia, as lendas sobre a Terra Oca são verdadeiras

De acordo com os índios Macuxi da Amazónia as lendas sobre a Terra Oca são verdadeiras 1

Os índios Macuxi sabiam da existência da Terra Oca quase há cem anos atrás. Mas serão as suas lendas verdadeiras ou não passam de histórias de folclore incríveis?

E se os contos do clássico livro de Júlio Verne, “A Viagem ao Centro da Terra”, são realmente verdade? E se em algum lugar lá embaixo, existe um mundo novo há espera de ser explorado, um lugar onde de alguma forma, os seres vivos habitam as profundezas do nosso planeta, um lugar que culturas e civilizações antigas sabiam que existia, ou que ainda existe nos dias de hoje. E se for realmente verdade?

Os índios Macuxi são um povo indígena que vive na Amazónia, em países como o Brasil, Guiana e Venezuela. De acordo com as suas lendas, eles são os descendentes dos filhos do Sol, o criador do Fogo e da doença e os protectores do “interior da Terra.”

De acordo com os índios Macuxi da Amazónia, as lendas sobre a Terra Oca são verdadeiras 2

As suas lendas falam de uma entrada na Terra. Até ao ano de 1907, os Macuxies entrariam em algum tipo de caverna, e viajavam de 13 a 15 dias até que chegassem ao interior. Seria ali, “no outro lado do mundo, no interior da Terra” o lugar onde os gigantes vivam, criaturas que têm cerca de 3-4 metros de altura.

De acordo com os Macuxies esses gigantes tinham a tarefa de proteger a entrada, impedindo estranhos de entrarem na “Terra oca.” Lendas do povo Macuxi afirmam que aqueles que se aventuravam no percurso da caverna misteriosa, viajavam durante três dias, descendo apenas escadas gigantes, medindo cerca de 1 metro cada degrau. Após o terceiro dia, eles deixariam para trás as suas tochas, e continuavam a sua jornada iluminados por luzes que já estavam presentes nas cavernas. Lanternas gigantes, do tamanho de uma melancia a brilhar como o sol.

Depois de 4 a 5 dias de viagem, aqueles dentro da caverna iriam perder peso e massa corporal, o que lhes permitira mover muito mais rápido. As lendas do povo Macuxi afirmam que após 5 dias de viagem, eles iriam deparar-se sobre enormes cavernas cujos limites não podiam ser visto, e numa das câmaras do sistema de cavernas, há quatro objectos semelhantes ao sol, que eram impossíveis olhar, cujo propósito é desconhecido para o povo Macuxi.

De acordo com os índios Macuxi da Amazónia, as lendas sobre a Terra Oca são verdadeiras 3

No interior da Terra, existem lugares onde as árvores com alimentos são capazes de crescer. Os Macuxi dizem que frutas como mangas, bananas e algumas plantas menores podem ser encontradas após 6-7 dias de viagem. Quanto mais o povo Macuxi se aventurava para o interior da Terra, maior eram as áreas com vegetação. Mas nem todas as áreas eram verdes e prósperas. O povo Macuxi diz que alguns lugares são extremamente perigosos e devem ser evitados, como aqueles com pedras e riachos de ebulição.

De acordo com os índios Macuxi da Amazónia, as lendas sobre a Terra Oca são verdadeiras 5

As tradições orais dos Macuxi continuam e dizem que depois de passar estas câmaras gigantes, tendo passado metade da viagem, eles precisavam de se mover com cuidado uma vez que o misterioso “ar” podia pôr as pessoas a “voar ou flutuar”. Continuando a sua jornada, eles iriam chegar a um lugar no interior da Terra, onde os gigantes viveram. Lá, os exploradores Macuxi iriam comer a comida dos gigantes, onde cresciam maçãs do tamanho de cabeças humanas, uvas do tamanho de um punho humano, e peixes gigantes e deliciosos eram capturados pelos gigantes e dados aos Macuxi como presentes.

Após de se abastecerem com comida oferecida pelos gigantes, os exploradores Macuxi voltavam “para casa”, para o mundo “exterior”, ajudados pelos gigantes do mundo interior.

Diz-se que os Macuxi são os “guardiões” do submundo, os protectores da entrada para o interior da Terra, e as suas lendas falam de uma terra, no interior da terra, que está cheia de poderes e riquezas incríveis.

Esta lenda, claro, é considerada por muitos como apenas isso, uma história dos antigos. Mas, para os Macuxi, a sua “lenda” era real, e eles eram os protectores da entrada até que exploradores britânicos foram para a Amazónia em busca de ouro e diamantes, e aventuraram-se nas cavernas, e nunca mais foram vistos. Desde essa altura que os Macuxi dizem que foram punidos pelos gigantes por não cumprir os seus deveres e as “lendas” dos gigantes desapareceram com os anos.

O que você acha? É possível que esta seja apenas mais uma lenda? Ou existe algo mais sobre o povo Macuxi e as suas misteriosas lendas? Diz-se que as lendas sobre a Terra Oca existem em muitas civilizações e culturas antigas em todo o mundo. A existência de seres gigantes que habitam o nosso planeta é outro facto presente em dezenas de culturas antigas em todo o mundo, até mesmo presentes em textos religiosos, como a Bíblia.

É possível que as lendas Macuxi sejam reais? E que em algum lugar da Amazónia, tenha existido no passado uma entrada para o interior da Terra?

Fontes:

http://www.ancient-code.com/the-hollow-earth-exists-according-to-the-macuxi-indians-of-the-amazon/