Crónicas do Futuro: Uma história mantida em segredo pelos maçons agora revelada

Crónicas do Futuro Uma história mantida em segredo pelos maçons agora revelada 1

Crónicas do Futuro conta uma história notável sobre um evento bizarro e incrível vivido por Paul Amadeus Dienach, o autor, que viveu durante o início do século passado na Europa central. Dienach afirma que durante o seu estado de coma de um ano, provocado por uma doença grave, a sua consciência viajou para o futuro para um corpo diferente e ficou lá por durante o seu período do coma. Embora pareça impossível e, na verdade algo fantasiado, a história de Dienach foi levada muito a sério pelos maçons, que mantiveram o seu livro como um segredo bem guardado.

Existem muitos livros contendo profecias e visões de futuras ocorrências, no entanto, nenhum semelhante às circunstâncias estranhas que aconteceram a Dienach quase há um século atrás. Apenas um grupo selecto já teve o privilégio de ler a crónica detalhada de Dienach de eventos pois só apenas um pequeno número de cópias foram impressas e publicadas na Grécia.

Mas agora, pela primeira vez, as pessoas têm a oportunidade de ler a incrível história de Dienach e ouvir as suas revelações sobre o futuro e o próximo passo evolutivo para a humanidade.

Quem é o escritor do livro?

Crónicas do Futuro Uma história mantida em segredo pelos maçons agora revelada 2

Paul Amadeus Dienach, era um professor de estudos do idioma alemão. Ele não era um escritor nem pensava em escrever um livro. Em vez disso, Crónicas do Futuro é o seu diário publicado contendo uma descrição detalhada das suas experiências.

Dienach sofria de um tipo raro de encefalite letárgica («doença do sono»), e em 1921, ele entrou em coma e permaneceu assim durante um ano inteiro num hospital de Genebra.

Qual foi a experiência?

Quando Dienach acordou do seu coma, ele registou no seu diário que tinha estado acordado e consciente o tempo todo, mas não no ano nem no local em que o seu corpo jazia. Dienach informou que a sua consciência viajou para o corpo de um outro homem, Andrew Northam, no ano 3906 AD.

De acordo com Dienach, indivíduos no ano 3906 AD perceberam que uma consciência diferente tinha entrado no corpo de Andrew Northam, e assim eles mostraram-lhe e explicou-lhe tudo sobre a sua época, assim como exactamente o que tinha ocorrido a partir do século 21 até ao seu presente ano, mostrando o caminho que a humanidade tinha seguido.

Dienach informou que uma nova espécie do ser humano, chamado Homo Occidantalis Novus, seguirá o Homo sapiens de hoje, e em suas memórias ele traça os passos, boas e más, que terão lugar ao longo dos milénios.

Dienach nunca mencionou a sua história a ninguém no momento por medo de ser considerado um louco e expor-se ao ridículo, tanto na sua carreira como na sua vida pessoal.

Como é que o seu diário pessoal veio a ser publicado?

Crónicas do Futuro Uma história mantida em segredo pelos maçons agora revelada 3

Aos 36 anos de idade, com a sua saúde frágil e depois de se recuperar do coma, Dienach decidiu ir para a Grécia no Outono de 1922, com o objectivo de melhorar a sua saúde, por causa do clima ameno, e também para ensinar alemão a estudantes universitários. Um dos seus alunos foi George Papahatzis, que mais tarde tornou-se o vice-presidente do Conselho Nacional da Grécia, membro fundador da Sociedade Filosófica grega e um dos reformadores de Direito Administrativo na Grécia, bem como um membro do alto escalão de uma série de sociedades secretas, incluindo os maçons.

Dois anos mais tarde, vendo a sua saúde piorar e sabendo que a sua morte era iminente, Dienach decidiu ir para a Itália. Mas antes de sair, ele confiou ao seu aluno fiel, Papahatzis, com uma mala cheia de notas, dizendo-lhe que, se quisesse lê-las no futuro, ele iria ajudá-lo com o seu alemão. Ele disse adeus ao seu jovem amigo e partiu. Ele morreu de tuberculose no primeiro semestre de 1924.

George Papahatzis traduziu as notas de Dienach gradualmente durante um período de 14 anos – de 1926 a 1940. Ele ficou surpreso com as notas que Dienach lhe deixara. Inicialmente, ele acreditava que o seu professor tinha escrito um romance de uma maneira muito peculiar. Mas, como ele continuou a ler, ele percebeu que o que ele estava traduzindo eram memórias de Dienach.

A Segunda Guerra Mundial e a guerra civil que se seguiu na Grécia fez Papahatzis cessar as traduções de Dienach. Mas mais tarde, 1952-1966, Papahatzis tentou localizar parentes de Dienach ao viajar para Zurique, em doze ocasiões separadas. Ele não conseguia encontrar nenhum parente ou qualquer traço de Dienach. Assim, a sua conclusão foi que Dienach (que lutou durante a Primeira Guerra Mundial ao lado dos alemães) tinha mudado o seu nome na sua chegada à Grécia, um país que tinha lutado contra os alemães na guerra.

Depois de traduzido, Papahatzis compartilhou as notas somente a um círculo maçónico muito fechado, envolvendo membros do mais alto grau. As notas foram divulgadas como informações de maior importância para o futuro da humanidade, e entre os maçons, Dienach foi considerado um profeta dos tempos modernos.

Os esforços de publicação e o ataque da Igreja

Até 1972, as notas traduzidas do Dienach estavam disponíveis dentro dos próximos círculos filosóficos e maçónicos. Eles acreditavam que as informações não deviam ser disponibilizadas para as massas, pois eram bastante controversas e muitos não iriam lidar bem com as informações. Mas George Papahatzis não concordou.

Em 1972, durante a ditadura na Grécia, Papahatzis publicou as Páginas de um Diário de Dienach tendo ficado imediatamente sob ataque. Ele perdeu o emprego, foi acusado como herege pela Igreja, e cópias do livro desapareceram rapidamente. Apenas algumas permaneceram.

Crónicas do Futuro Uma história mantida em segredo pelos maçons agora revelada 4

Outra tentativa de publicação foi feita em 1979, um período em que a Grécia estava em transição para a democracia após o derrube da ditadura. No entanto, mais uma vez os livros desapareceram e ele quase não foi mencionado novamente, para além de os poucos que sabiam da sua existência.

Trinta anos mais tarde e o livro nunca saiu da Grécia, e quase todos ignoravam a sua existência para além de Radamanthys Anastasakis, alto ex-membro de muitas sociedades secretas (e hoje professor, autor e editor), que decidiu publicar o livro numa pequena escala, exactamente como foi escrito anteriormente. A enorme extensão do livro, em combinação com o facto de ter sido publicado por uma companhia pequena que não têm os meios para anunciá-lo, fez com que ele se perdera entre os milhares de outros livros.

Devidamente apresentado pela primeira vez

Quando as memórias de Dienach foram publicadas primeiramente, eram de difícil leitura, contendo mais de 800 páginas de notas ásperas. Dienach nunca pretendeu que o seu diário fosse publicado como um livro, e simplesmente registou o que conseguia lembrar da sua experiência num ano, quando ele estava em coma, junto com outras lembranças do seu passado, fazendo a essência da história difícil de extrair.

Agora, pela primeira vez, o diário de Dienach foi devidamente preparado e editado, apresentando os elementos-chave da sua história num formato de fácil leitura, juntamente com ilustrações impressionantes que trazem à vida a verdadeira essência da sua experiência.

Este livro pode ser algo de mudar uma vida, porque se o que diz é verdade, Dienach vai mostrar o que o futuro reserva para a humanidade…

Pode aceder às crónicas clicando no link abaixo:

http://www.ancient-origins.net/unexplained-phenomena/chronicles-future-amazing-story-paul-amadeus-deinach-003121

Fonte:

http://www.ancient-origins.net/news-general-unexplained-phenomena/chronicles-future-true-story-kept-hidden-masons-now-revealed-020356

Anúncios