O Sistema Endocanabinóide – Como o THC Cura o Cancro

Existem cerca de 20 mil estudos sobre Canabinóides no banco de dados da PubMed. São poucos os cientistas que concentram o seu trabalho nos Canabinóides que podem negar o enorme potencial terapêutico da cannabis.

A Dr. Christina Sanchez, uma bióloga molecular da Universidade Compultense em Madrid Espanha, completou uma extensa pesquisa que deu origem a uma das primeiras descobertas sobre o facto de o THC matar células cancerígenas.

O sistema endocanabinóide é um grupo de receptores no cérebro que estão envolvidos numa variedade de processos fisiológicos, incluindo o apetite, dor – sensação, humor e memória; este sistema gere muitos processos fisiológicos, incluindo a aprendizagem motora, plasticidade sináptica, e o apetite.

Este sistema mantém os nossos sistemas biológicos regulando cada tecido celular. Ele usa ácido araquidónico / Omega 6 para fazer Endo-Canabinóides: moléculas de gordura que se comunicam mal entre as células. Cannabis dietéticos imitam o ECS, fornecendo Canabinóides quando existe uma deficiência de ácido araquidónico ou uma Deficiência Clínica de Canabinóides.

A descoberta de receptores específicos de membrana da componente psicoactiva 9 -tetrahidrocanabinol da maconha (THC) no início da década de 1990, abriu o caminho para a revelação de um sistema de sinalização endógeno que é o sistema endocanabinóide.

Um das constatações mais incríveis do sistema endocanabinóide é que parece ser conservado na coluna vertebral, e está presente na estrutura dos receptores e na sua função, também em invertebrados, o que implica, portanto, a sua participação em funções vitais em quase todos organismos.

O concentrado feito a partir dos topos floridos da planta cannabis pode produzir um óleo viscoso contendo grandes doses de canabinóides activos. O processo ficou conhecido primeiramente por Rick Simpson e chamado de RSO ou Phoenix Tears. A proporção dos compostos são tipicamente 45 % -65 % de THC e de 7% a 12 % CBD. O Canabidiol mostrou reduzir os intensos efeitos colaterais de THC incluindo a alteração de consciência, confusão e ansiedade. Os pacientes com várias formas diferentes de cancro têm sido capazes de usar este óleo superficialmente e internamente para forçar a eliminação das células cancerígenas.

O RSO teve muitas vezes uma taxa de sucesso maior do que quimioterapias e radioterapias. Embora estas terapias tradicionais destruam as células cancerígenas, destroem também o tecido saudável de forma indiscriminada. O RSO mata apenas células cancerígenas , deixando o tecido saudável intacto dando ao paciente mais hipóteses de recuperação. RSO também tem sido um tratamento terapêutico na dor crónica, inflamação, espasmos musculares, desordens intestinais e muito mais.

(wakingtimes.com)

Anúncios