Psiquiatria: Uma Indústria da Morte

A psiquiatria é uma pseudo ciência e os seus postulados estão embasados unicamente na mentira, engodo, manipulação e falácia.

Psiquiatras são membros de uma pseudo instituição, uma quadrilha organizada de malfeitores, tolos iludidos e equivocados, desprovidos de senso de julgamento, incapazes de contestar as ideias que lhes foram transmitidas no ambiente académico e as quais tomaram por verdades.

Durante séculos em nome dos seus empregos e salários, posição social, ganância e arrogância, cometem os mais hediondos crimes contra a vida humana.

São agentes promotores das multibilionárias indústrias dos medicamentos.
São vendedores comissionados que ganham sobre o produto que vendem e praticam uma medicina voltada para o lucro e dedicada à perpetuação da doença.

Anúncios

Os Deuses do Eden

Quando inicialmente comecei a pesquisar as origens da guerra humana, certamente a última coisa na minha mente eram os Objectos Voadores não Identificados, melhores conhecidos como Ovnis.

As muitas revistas sobre discos voadores que uma vez se apresentaram nas prateleiras eram, na minha opinião, não merecedoras de consideração.

Eu também não sentia que o fenómeno Ovni fosse terrivelmente importante até mesmo se houvesse evidências de uma raça extraterrestre.

Resolver os problemas da guerra aqui em baixo na Terra e o sofrimento humano pareciam-me muito mais importantes do que discutir se existiriam ou não “homenzinhos verdes de Marte” que ocasionalmente poderiam estar a visitar a Terra.

Aceda ao PDF do livro versão Inglês/Espanhol clicando aqui

Aceda ao PDF do livro versão Português/Brasileiro aqui

8.000 Estudantes Tornam-se Cobaias Para Vacinas Não Aprovadas

vaccination - CópiaSaudações a todos os leitores.

Apesar de sabermos que a cabala está fragilizada, é bem claro que os objectivos primordiais da sua filosofia continuam na ordem do dia,neste caso ,a vacinação indiscriminada! Como vão poder ler, as pessoas não foram informadas sobre a natureza dos químicos que compõem a vacina, nem dos seus efeitos colaterais, nem nada de nada! É mais uma experiência ao bom velho estilo nazi, só que nessa altura, era tudo mais discreto, e nos nossos dias já nada há a esconder!

São 8000 pessoas que se tiverem azar, podem ficar com a saúde seriamente ameaçada, ou até mesmo, morrer. Sabemos que dum ponto de vista puramente clínico e médico, nada disto era preciso, mas a cabala está-se nas tintas para a ética ou para valores morais! O que conta é tentar reduzir significativamente o número de pessoas neste planeta!

Para atingir estes objectivos, todo o tipo de acções são válidas. Recordem-se de que em Portugal, bem á poucas semanas, ficaram disponíveis uma serie de vacinas para as pessoas de 3ª idade! Isto não vos soa a ilusão? Quem ainda julgar que se preocupam a sério com a faixa etária mais velha da população anda literalmente a “dormir”! Para os que já estão devidamente esclarecidos, é claro que vacinas grátis para tal grupo de pessoas significa a morte a médio prazo! Esta é uma forma de eutanásia bastante eficiente!

Por detrás da máscara da ajuda e prevenção de doenças, esconde-se uma realidade pérfida que se julgava extinta, mas que na realidade, bate-nos á porta todos os dias! O que é preciso para contrariar estas políticas de insanidade, é informar as pessoas o mais conciso e o mais rápido possível!

Haverá muita gente que irá negar a verdadeira realidade, contudo a seu tempo, terão a oportunidade também eles de verificar por si que o aviso que lhes foi feito, afinal, era sério e bem real! Nunca se abstenham de informar o próximo, não temam ser ridicularizados, pois a verdade, a Luz, está do nosso lado, fazendo com que as nossas acções tenham um impacto positivo e decisivo! A informação é a única arma que nós podemos usar, portanto, usem-na com equilíbrio e sabedoria, pois desta forma, costumam-se realizar verdadeiros “milagres”!

Abraço, Simon LB.

8.000 Estudantes Tornam-se Cobaias Para Vacinas Não Aprovadas

A empresa farmacêutica Novartis só tem a ganhar com o surto de meningite em Princeton.

Como foi amplamente divulgado na mainstream media, o surto de meningite da Universidade de Princeton provocou uma aliança entre a empresa farmacêutica Novartis e as agências governamentais. A FDA e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) aprovaram a importação (Novartis) da vacina Bexsero contra a meningite para os EUA, apesar de não ter sido aprovada pela FDA.

Apesar de apenas sete estudantes terem sido infectados e de não se esperar que o surto de Princeton seja uma epidemia, a vacina foi importada na mesma.

Isto torna-se um grande avanço para a Novartis, pois a Bexsero tem lutado a fim de ser aceite. Embora esta vacina tenha sido aprovada na Austrália e na Europa, ela foi rejeitada pelo Comité Misto do Reino Unido sobre Vacinação e Imunização (JCVI). As empresas farmacêuticas devem também de provar a cada país da UE porque é que uma certa droga deve ser adoptada.

O que é que realmente se está a passar? Como é que uma droga rejeitada pelo Reino Unido torna-se aceitável para uma Universidade da Ivy League? É segura? Será que funciona? Poderia ser este o mais recente medicamento adicionado ao esquema vacinal controverso do CDC? Quem é que fica a ganhar com a inesperada inserção da Bexsero e quem fica a perder ?

ANH- EUA investigou o passado desta vacina, e respondeu às perguntas que a mainstream media ignorou.

A Universidade de Princeton planeia recomendar que todos os alunos de graduação e pós-graduação que vivem em dormitórios, bem como vários “outros membros da comunidade universitária” (cerca de 8000 no total) recebam a vacina Bexsero. A vacinação será voluntária, mas é fácil imaginar que haverá uma pressão considerável para administrar esta vacina. Não será agradável estar no lugar da Universidade se algo correr mal.

Apesar de ter sido dada luz verde há Universidade de Princeton, a aprovação dos EUA foi adiada, isto porque a Novartis e a FDA não concordam sobre o termo “um substituto para a eficácia” para estudos obrigatórios da Fase III. Tradução: muitas drogas não são aprovadas não por revelarem ter um impacto sobre os resultados na “vida real”, mas porque revelam ter um impacto num sintoma – substituto para a eficácia.

Note que as companhias farmacêuticas estão autorizados a negociar qual o resultado que a FDA baseia a sua aprovação, esta deve ser determinada por peritos independentes, sem participação financeira na aprovação da droga. Em segundo lugar, o facto da Novartis querer escolher quais os sintomas que a FDA iria basear a sua aprovação não inspira confiança nesta vacina.

A Novartis precisa que a Bexsero seja aprovada, pois têm colocado as suas esperanças em novos produtos como este para “salvar” não só o seu departamente de vacinas no valor de 7.5 biliões de dólares, mas como toda a empresa. Isto é devido às perdas de receitas monumentais que vao surgindo com o precipício de patentes que revelámos recentemente: as empresas farmacêuticas estão cada vez mais desesperadas e estão a dependentes dos seus departamentos de vacinas. Provavelmente, isto significa que nós vamos ver mais e mais vacinas a passarem pelo frágil processo de aprovação da FDA, e em seguida, legalmente mandatada para serem administradas nas nossas crianças.

Além disso, existe uma espécie de “corrida” a acontecer na indústria farmacêutica: A Novartis e a Pfizer estão a competir para ver quem comercializa primeiro uma vacina do surto B da meningite aprovada pela FDA. As vacinas contra a meningite actualmente aprovadas abrangem apenas surtos tipo A, C, Y e W-135. Como trinta e sete estados mandatam vacinas contra a meningite para estudantes universitários, a primeira droga a ganhar a aprovação também vai ganhar um monopólio lucrativo numa vacina mandatada pelo Estado. Em outras palavras, é claro que a Novartis ganha uma grande vantagem em administrar a sua vacina em estudantes da Universidade de Princeton.

Se o medicamento revelar proteger com segurança os alunos, a Novartis deve de ser recompensada. Então a grande pergunta é: Será a Bexsero segura e eficaz? Ninguém sabe, realmente.

Em parte, isto é graças ao problema desenfreado de diversas publicações: como discutimos em Junho, cerca de metade de todos os testes de drogas não são disponibilizados ao público, e os resultados positivos são duas vezes mais propensos a serem publicados do que os resultados negativos para o mesmo medicamento. Assim, embora tenha havido pelo menos dois estudos publicados que mostram que a Bexsero é eficaz, é perfeitamente possível que existam muitos outros estudos que mostram que a Bexsero é insegura e / ou ineficaz e que a Novartis está simplesmente a reter essas informações.

Esta não é uma possibilidade absurda: na verdade, isto foi exatamente o que aconteceu com o Tamiflu, o medicamento contra a gripe que custou aos contribuintes 1,5 biliões de dólares. A Farmacêutica Roche foi acusada de omissão de dados sobre o Tamiflu – dados que sugerem que a droga não era tão eficaz como tinha sido relatado. Na verdade, ela é tão eficz quanto uma aspirina.

Mesmo com os dois estudos de Fase III da Bexsero (o passo final antes da aprovação) publicamente disponíveis, existem problemas. O primeiro estudo revelou que a Bexsero aumentou as taxas de febres nas crianças (foram 3.630 crianças estudadas), o que, compreensivelmente, levantou alarmes com os reguladores e investidores. O segundo estudo analisou 1.200 pacientes e descobriram que não havia aumento da taxa de febre.

A diferença? O segundo estudo patrocinado pela Novartis foi publico, o que significa que os investigadores que conduziram o estudo sabiam quem iria receber a Bexsero -deixando o estudo vulnerável tanto a preconceito inconsciente como a manipulação intencional. Com biliões em jogo, estas são preocupações válidas.

Com tantas questões sobre a vacina Bexsero, o que podem os alunos fazem para manterem-se bem sem ela? Aqui está uma lista de medidas preventivas naturais, do ex-presidente da ANH-EUA, Dr. Sherry Tenpenny:

  • Os alunos devem dormir mais, comer alimentos mais saudáveis, e respirar ar fresco.
  • Não compartilhar alimentos, copos, garrafas de água, ou utensílios de cozinha.
  • Não compartilhar lenços ou toalhas.
  • Não compartilhar qualquer tipo de batom.
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão.
  • A bactéria que causa meningite meningocócica vive na parte de trás do nariz e garganta, e é transportada entre 10% a 25% da população. O gargarejo ou o lavar as passagens nasais com uma solução de Lugol (iodo) ou prata coloidal usando um pote neti é uma boa idéia, mas só deve ser feito com aconselhamento profissional. Ingerindo 3000 a 6000mg por dia de Vitamina C, sujeito a tolerância intestinal e manter o seu nível de vitamina D entre os 80 UI / ml (mas não mais de 100), podem ser benéficos para o sistema imunológico.
  • Se já teve contato próximo com uma pessoa que teve uma febre e é suspeita de ter meningite, uma aplicação de sete dias de antibióticos profiláticos – administrados com uma boa qualidade de probióticos – pode ser prudente.

Gostaríamos de acrescentar que o passo mais importante a ter em conta é o de manter os níveis de vitamina D.

É claro que o maior problema com as vacinas é que elas são desenvolvidas em indústrias / “parcerias” governamentais. Após a aprovação, o governo muitas vezes  recusa-se a estudar o registo de segurança a longo prazo das vacinas (talvez isso se deva ao investimento financeiro e político do governo nestas drogas perigosas).

Alerta de Acção! Diga à FDA e ao CDC para pedir que a OIM estude todos os AERs das vacinas! É completamente irresponsável para a FDA e o CDC permitir  a vacinação em massa, particularmente drogas não aprovadas, sem análise cuidadosas dos efeitos colaterais e eventos adversos graves. É vital que o impacto de curto e longo prazo das vacinas, particularmente aquelas adoptadas para estudantes universitários sejam cuidadosamente estudadas por um organismo independente não – governamental. Afinal de contas, é o bem-estar das nossos crianças que estão em risco. Por favor, tome uma acção hoje!

Texto traduzido a partir da seguinte fonte:

http://www.anh-usa.org/8000-students-become-guinea-pigs-for-unapproved-vaccine/

Conspiração “Clementine” – Projecto Dragão Dourado

Este projecto é baseado numa “teoria” pessoal sobre uma grande conspiração pelo Departamento de Defesa dos EUA, um “whistleblower” que deixou pistas criptográficas e que finalmente expôs um objecto a ofuscado encontrado na cratera Zeeman .

Esta não é uma compilação de divulgação científica (ainda).

Esta apresentação é o resultado de 14 anos de pesquisa, recolha de dados, análise e melhorias usando software de aprimoramento de imagem forense. Eu precisei de muito tempo para conseguir olhar para além da forma estranha. Não espere conseguir ver o objecto imediatamente. Os seus olhos e a sua mente precisam de tempo para adaptar-se e tente não pensar muito em tecnologia alienígena.

Provavelmente você tem uma expectativa de como é que a “tecnologia na Lua ” parece, mas esta máquina é diferente de tudo que você já viu. Para vê-la você deve:

A) Estar disposto a aceitar o impossível.

B) Libertar a sua mente.

C ) Capaz de pensar livremente e abertamente.

Nota:

Eu não posso prometer que você vai ver tecnologia alienígena. Tudo depende da sua vontade de aceitar que há vida fora da atmosfera da Terra. Apenas pessoas que estão totalmente abertas a tecnologia extraterrestre e que são capazes de assistir a este vídeo sem preconceitos terão uma melhor oportunidade de compreender as imagens.

Inglês não é minha língua nativa, por isso, talvez Roc Hatfield , autor de dois livros “Ancient man On the Moon” e ” Moon Base Cover Up ?” pode ter uma boa descrição do que esperar :

“Os nossos cérebros não estão acostumados a ver Tecnologia Alienígena, por isso pode demorar alguns minutos para a conseguir ver. É claramente uma grande máquina. Eu fui capaz de reconhecer uma série de recursos , depois de olhar para as imagens durante algum tempo. Ela é feita de milhares de placas inter- travamento, como escamas de um jacaré. Acredito que isto lhe permita ondular como uma cobra ou lagarta. A máquina é tão longa que precisa de se flexionar a fim de assentar sobre a superfície lunar. Ao ser flexível pode envolver-se em redor da curvatura da superfície da lua.

A máquina serve para recolher os minerais da lua pela frente com um pórtico gigante e processar estes minerais a bordo, existindo para isso uma enorme fábrica a bordo. Eu acredito que a máquina possa voar e que tenha visitado a Terra no passado. Poderia ser os dragões visto pelos antigos povos chineses. Esta máquina de lado parece-se com um dragão.”

Energia de Cura Pirâmidal

Com este conhecimento (Healing Pyramid Energy) podemos curar a terra. É como se a própria vida tivesse ainda um campo de energia desconhecido que suporta a sua própria existência e a emana directamente da terra, onde depois é aproveitada pelas estruturas piramidais.

A radiação pode ser reduzida rápidamente, os buracos do ozono podem ser fechados, terremotos e o mau tempo podem ser reduzidos ou mesmo eliminados, tornar a água purificada, ter uma agricultura melhorada, as doenças diminuidas drásticamente.

Todas estas coisas que nós consideramos serem problemas distintos, que estão para além da capacidade de uma pessoa só, podem agora ser vistos como parte da responsabilidade Internacional.

Aceda ao PDF do livro em Inglês aqui

A História Sionista

O autor combina com êxito imagens de arquivo com comentários próprios e de outros, como Ilan Pappe, Jeff Halper, Terry Boullata e Alan Hart.

“Recentemente concluí um documentário independente, A história Sionista, no qual quero apresentar não apenas a história do conflito Israel/Palestina, mas também as razões centrais do mesmo: a ideologia sionista, seus objectivos (passados e actuais) e seu firme controle não somente da sociedade israelense mas também, e de modo crescente, da percepção que os ocidentais têm do Oriente Médio.

Estes conceitos já foram demonstrados no excelente documentário Ocupação 101, de Abdallah Omeish e Sufyan Omeish, mas em meu documentário eu abordo a questão da perspectiva de um Israelense, ex-soldado da reserva e alguém que passou sua vida toda na sombra do sionismo.

Espero que achem um momento para assistir a A História Sionista e, caso queiram, sintam-se à vontade para compartilhar-lo com outras pessoas.

Fiz este documentário inteiramente sozinho, sem nenhum orçamento, embora tenha me esforçado para atingir elevados padros profissionais. Espero que esta produção doméstica seja do interesse dos espectadores.” — Renen Berelovich.