Projecto Filadélfia: História e Mito

Projecto Filadélfia História e Mito

Olá a todos os leitores.

Muito embora este projecto tenha sido feito há várias décadas, os seus efeitos ainda se fazem sentir enormemente (rupturas feitas no espaço-tempo, etc, que permitiram a entrada de ETs negativos e que nunca se fecharam porque ninguém sabe como o fazer). Uma serie de outros projectos negros dos EUA seriam posteriormente elaborados,tendo em conta os ensinamentos e resultados de Filadélfia.

De onde acham que vem a famosa tecnologia “stealth” ?..a invisibilidade de corpos sólidos, etc… pois é, estes senhores há muito que trabalham na sombra, produzindo resultados que nós, meros humanos, achamos que não passam de devaneios ao estilo de ficção-cientifica, mas no entanto existem, tendo permitido a expansão de um segmento muito pequeno das forças armadas norte-americanas no sentido da colonização de outros planetas, etc, etc.

Mais uma vez lhes digo, sem a mente aberta e espírito livre não se consegue entender muita coisa que se passa nesta realidade artificial que nos é imposta, portanto, mantenham-se “acordados”!!

Um Abraço. Simon LB.

Nasce uma lenda 

A história que é conhecida sob o título de “O Projecto Filadélfia”, surgiu através de uma série de eventos estranhos, com uma figura verdadeiramente misteriosa como estrela principal. Em 1955 um livro intitulado “The Expanding Case for the UFO” foi publicado. Este livro não iria ser tão conhecido pelo seu conteúdo, mas por causa dos eventos que se seguiram.

fila-02O autor era Morris K Jessup, um astrónomo formado pela Universidade de Michigan, onde ele também palestrou por um tempo. Mas Jessup também era um apaixonado investigador de OVNIs. Depois de publicar o seu livro ele iniciou uma série de conferências públicas para promover a sua publicação. Em Janeiro de 1956 Jessup recebeu uma carta de alguém que obviamente assistiu a pelo menos uma das suas conferências e também leu o seu livro. A carta comentava sobre o que Jessup escrevera sobre os OVNIs e em certo ponto havia uma referência a um incidente incomum.

De acordo com a carta, em Outubro de 1943 uma experiência ultra-secreta foi conduzida pela Marinha dos EUA. O resultado da experiência foi a invisibilidade e o teleporte de um destróier dos EUA, enquanto no mar.

A carta era assinada por um certo Carl Allen, que também usou o pseudónimo de Carlos Miguel Allende. De acordo com Allen a experiência era de fato uma aplicação prática da Teoria de Campo Unificado de Einstein.

A história de Allende

Allen afirmou que em Outubro de 1943, enquanto estava a bordo do navio Liberty USS Andrew Furuseth na área de Norfolk Va, um navio, do tipo destróier, subitamente surgiu de lugar nenhum, parcialmente coberto por uma névoa verde de forma esférica. O navio permaneceu por apenas alguns minutos e então desapareceu novamente. Ele também menciona que de acordo com um jornal da Filadélfia observadores no Estaleiro da Filadélfia testemunharam exactamente o evento oposto, um navio desaparecendo e então voltando outra vez. Ele de facto alega que o navio foi teleportado da Filadélfia para Norfolk em questão de minutos (a distância real requer aproximadamente 24 horas).

fila-03A história de Allen continua, relatando vários incidentes estranhos considerado como efeitos da experiência nos tripulantes a bordo do destróier. Um deles, segundo relatos, simplesmente desapareceu no meio de uma briga de bar, outro “entrou” numa parede em frente dos olhos da sua família e nunca mais retornou, e quase todos eles sofreram problemas psicológicos sérios e tiveram que ser hospitalizados. A opinião de Allen é que a experiência estava fora de controle e os resultados amedrontaram as pessoas no comando, resultando no encerramento de todo o projecto três anos depois.

Jessup não estava convencido pelas alegações selvagens de Allen e pediu evidência mais substancial para o incidente. A resposta de Allen veio em 25 de Maio de 1956, e não forneceu a evidência que Jessup esperava. Além da falta de evidência, as cartas de Allen estavam cheias de palavras em maiúsculas, orações e teorias incoerentes e uma mistura de teorias que soavam científicas e deduções irracionais. Subsequentemente Jessup deixou o assunto de lado e não prestou atenção adicional à história.

O Escritório de Pesquisa Naval (ONR – Office of Naval Research)

Um ano depois, na primavera de 1957, Jessup recebeu um convite para uma reunião do Escritório da Marinha de Pesquisa Naval. Foi-lhe apresentada uma cópia do seu livro repleta de anotações. As anotações estavam em três cores diferentes e aparentemente em três letras diferentes, de três pessoas diferentes.

As anotações reproduziam a história de Allen relativo ao suposto Projecto Filadélfia e estendia-se bastante em comentários sobre viagens interplanetária, sistemas de propulsão de OVNIs, as teorias de Einstein e Tesla, tudo isto usando linguagem e terminologia sugerindo conhecimento e treinos científicos acima da média.

Jessup reconheceu pelo menos uma das caligrafias como de Allen, enquanto o estilo e formato das anotações assemelhavam-se fortemente às cartas de Allen.

Num acto bastante estranho e questionável, oficialmente considerado pela Marinha como “uma iniciativa privada de certos funcionários do ONR”, o ONR republicou o livro anotado, com as cartas de Allen em forma de prefácio, num número limitado de cópias (a quantidade não foi firmemente estabelecida e parece variar de 10-130 cópias). Esta versão do livro de Jessup ficou conhecida como a “Edição da Varo”, nome da companhia que lidou com a publicação.

Jessup suicidou-se dois anos depois, em Abril de 1959, porque estava enfrentando uma séria angústia psicológica devido a problemas matrimoniais. O que aconteceu durante esses dois anos é desconhecido. É quase certo que Jessup recuperou o seu interesse pelo caso, por causa do interesse do ONR, e provavelmente contactou novamente Allen. Jessup, discutiu o assunto com amigos e colegas tendo o Projecto Filadélfia ficado mais conhecido, atraindo assim o interesse de mais pessoas…

Leia mais aqui: ussventure.eng.br

Anúncios