A Nova Lei de Patentear Sementes na Europa

A Nova Lei de Patentear Sementes na Europa

A Monsanto quer expandir a sua filosofia, aplicar as suas regras de tirania e soberania na Europa.

Essa vontade já se faz sentir após ter sido apresentada uma proposta para aplicar uma lei de modo a patentear ementes na Comissão Europeia, impossibilitando a troca, o cultivo e a armazenamento de sementes por parte de qualquer cidadão europeu, sem estas estarem registadas na entidade reguladora (Instituto Comunitário das Variedades de Plantas – CPVO), tal como acontece nos EUA.

A revolta fez-se sentir no dia 25 De Maio de 2013, numa marcha global contra a Monsanto, e Portugal não foi excepção. Mas será o suficiente?

O facto da Comissão Europeia querer patentear todas as sementes na Europa só mostra o poder que esta Multinacional tem, e quem ler a proposta vai perceber que os métodos aplicados nesta lei são exactamente iguais aos da Monsanto.

“…É a primeira legislação que se atreve a barrar o acesso a sementes para a produção local de alimentos. O pequeno agricultor, mesmo o mais pobre, ver-se-á obrigado a comprar as suas sementes no mercado, ano após ano, com o risco adicional de ver estes custos subir, devido à existência de oligopólios na produção de sementes comerciais…”

“…Todas as pessoas ou entidades que para as suas actividades profissionais produzem, reproduzem e/ou vendem ou cedem sementes, terão de se registar como “operadores”. Todos os operadores, mesmo os que podem utilizar, vender e ceder variedades não registadas, têm que obedecer a uma série de critérios/normas e manter registo de tudo o que produzem e vendem ou cedem e a quem vendem/cedem…” – Claramente um ataque à auto-suficiência e liberdade de escolha.

As empresas de biotecnologia e genética tentam à força implementar a alteração genética de plantas e animais em todo o mundo, forçando-nos a ficar sem escolha e sem poder de decisão na alimentação. A Monsanto em particular é das piores que alguma vez iremos conhecer, pois não tem problemas nenhuns em recorrer à violência psicológica e financeira para ver os seus objectivos atingidos.

Tudo isto porque só pensam nos biliões que fazem todos os anos, mas ninguém sonha sequer que esses biliões são ganhos através do suor e trabalho árduo do simples agricultor que está no campo todos os dias, para no final ter que associar-se e dividir o pouco que ganha com a maléfica empresa.

E Portugal não é excepção, pois a produção de milho transgénico aumentou 20% em 2012.

Existem dezenas de alimentos alterados geneticamente em Portugal, e nós consumi-mo-los constantemente sem noção das consequências que advêm do consumo destes produtos, estudos hoje revelam o detrimento causado por estes bens.

Sabia que a Monsanto é detentora de 36% de cultivação de tomate, 32% de batata-doce e 49% de couve-flor em toda a Europa?

Quem pensa que a praga da Monsanto cinge-se apenas aos EUA engana-se, pois este é apenas um passo de empresas com jogadas subtis e passando fronteira a fronteira, a Monsanto vai expandindo o seu reinado e auto proclamando-se detentora de toda a forma de vida, seja animal ou vegetal.

O que vem a seguir para a Europa? A não rotulagem dos alimentos geneticamente modificados?

 Querem lá eles agora que as pessoas acordem para esta realidade.

Alexandre.

Anúncios